Alma-Poeta...

Os meus Rabiscos ...
Para ti, para mim para quem me queira ler...



"Vale sempre a pena quando a alma não é pequena"
(Fernando Pessoa)



quarta-feira, 29 de janeiro de 2014






Vivendo Recordações


Fico com o olhar triste, nas recordações do que fui,
E na solidão do que sou…
Musica que me atropela, com recordações
Do mundo onde todos vós sois
Se vos esqueceste?
Eu aqui permaneço na janela da amizade
Que hoje, intitulo a janela da saudade
Mundo que tanto percorri, hoje estou aqui
E de vós não me esqueci…
Meu coração palpita e minha mente vos transmite
A dor que sinto,
Estando longe de quem me fez gente
Passando por turbulências e maus momentos
Sei que não posso ser nem ficar assim
Mas porque é que a vida nos trama, ter de partir e não poder ficar.
E a todos vós vos ver e abraçar.
Recordo-me de tempos lindos e dos difíceis também
Passar fronteiras e não sentir dor, apenas querer ir alem
Ajudem-me a encontrar meu lugar
Tenho vontade de regressar e vos poder contar
Que o horizonte, não é o que nos fascina, mas sim uma mentira
Do querer e não conseguir obter
A dor maior, é não vos poder ver
Vos quero mostrar o quanto tento acalmar minha dor
Vos dizendo não deixem acabar o amor
Depois de sair desta dor,
Palpita o coração vos dizendo,
Não tenham em conta minha solidão
Apenas são desabafos, desiludidos do meu coração
Dos tempos que foram e não voltarão
Vivendo recordações sou feliz,
Mesmo com lágrimas amargas,
sou filha do mundo como tanta gente o diz
Se recordar é viver então viverei sem vos esquecer
Isto, do anoitecer ao amanhecer
Vamos viver recordações
Para não deixar adormecer nossos corações



                                                                                                     Alzira Macedo






A vida…

Descobre que a vida é contada em minutos…
Temos pouco tempo para tudo construir!!!
E desta vida usufruir.
Por isso constrói algo de novo em cada dia…
Dividindo o teu tempo com sabedoria.
Não te esqueças do próximo,
Lida sempre com a verdade…
Facilmente encontrarás o caminho da felicidade.
Almas cansadas no teu caminho, te irão perturbar,
A ti de ser forte e não desanimar.
Lembra-te que o tempo não para
E da tua vida está a descontar.
Não percas tempo desnecessário a pensar,
O que foi ontem, já passou…
Olha e sorri para o amanha.
Despede-te das ilusões,
Fracassos e decepções,
Constrói uma ponte…
Onde passas os laços de afecções.
Que sejas motivo de inspiração,
Para ti e os teus que não encontram solução.
Que sejas soberano por guiar os navegantes,
Mesmo que se tratem de ignorantes.
Lembra-te que a vida passando por ti,
Nunca voltará a ser como era antes.

Alzira Macedo