Alma-Poeta...

Os meus Rabiscos ...
Para ti, para mim para quem me queira ler...



"Vale sempre a pena quando a alma não é pequena"
(Fernando Pessoa)



segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Acorrentada ao amor




As amarras de uma paixao


Naveguei em teu corpo
como o barco navega no mar
teus braços senti como remos
dirigindo-me para o leito do amor
onde me desnudei
e a ti me entreguei
na noite calma ali...
tu e eu
sem pressa,
sem vontade de regressar à realidade
beijos soaves foram trocados
chamando o desejo
as estrelas testemunharam nossas juras
a lua minhas lagrimas de felicidade
foste minha fonte de inspiraçào
meu amor tornou-se poesia
encantando-me à luz do dia
o vento virou
e de mim te levou
deixando-me um vazio
afoguei na fonte das incertezas
lavando lagrimas de tristeza
apenas restou a recordaçào
de uma paixao
que aprisionou, unicamente meu coraçào

Alzira Macedo


2 comentários:

  1. Deixei-me flutuar na deliciosa sensualidade das palavras...

    Beijos,
    AL

    ResponderEliminar
  2. Sempre que sentir essa necessidade não peça permissão a ninguém e força...
    Deixar-se flutuar é embriagar-se de bem estar...
    Assim seja sempre..

    ResponderEliminar